quinta-feira, 23 de julho de 2009

O Homem que era meu

Por Juliana Portella

o homem que era meu tinha a voz doce e um jeito único de ser
Fazia minhas vontades e muito bem me conhecia
cuidou tanto de mim, me fez crescer
a poesia do seu amor contente eu vivia

Ele tinha um olhar atento e o sorriso aberto
Podia me tocar e me sentir mesmo não estando perto
As provas do seu amor eram nítidas mesmo estando calado
Eu me sentia a mais feliz de todas ao seu lado

Mas o que era meu, a vida levou,
E o meu peito marcado, chorou quando o fim chegou
aquele homem se foi pra nunca mais
Contudo desse sentimento não hei de me desfazer

É assim que o ‘nunca mais’ passado vai saindo
E o futuro, como presente, vem sorrindo
Sem medos e tão lindo, ele se revela
Enquanto isso, espero o homem que era meu nessa janela

O dia que essa agústia for desfeita
a minha vida será perfeita
De tudo o que podia ter sido
Enquanto esse dia não chega, o tenho como amigo
~

3 comentários:

george disse...

na verdade o "homem que era seu" esperou ouvir que era seu todo tempo que esteve do seu lado. mas só ouviu isso quado ja tinha partido, talvez seria diferente se algumas palavras fossem diats antes...
bjo

Alê disse...

Caraca juliana amei esse texto,adoreei o blog, super interessante, vou visitar mais vezes, arrazou monocó haha.
beiiijos liinda ;*

PP disse...

PRINCIPE ENCANTADO É UM SER IMAGINARIO QUE FAZ NOSSA ESPERANÇA BROTAR DENTRO DO PEITO.
SOMENTE DEUS É NOSSO, E NOSSO POR SER ELE MESMO O MAIS IMPORTANTE PARA TODOS (...)