segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

As minhas loucuras, as minhas escolhas, a minha literatura...

Por Juliana Portella

Faz  tempo que eu não escrevo aqui. Nem vou colocar a culpa na Tevê ou na internet. Acho mesmo é que eu perdi a mão para escrever o que realmente nasce de dentro de mim, o que eu penso. Resultado talvez de muito trabalho. Tô refém do relógio. E quando escrevo  há tanto  compromisso  em vender a verdade que se pede que o texto se torna superficial. ossos do ofício.  Saudade da época que eu virava madrugadas produzindo. Ao som quase sempre  de Maria Rita ou Norah Jones  Até versos com rimas eu já escrevi. Comecei até a escrever um livro. Acho que retrocedi.  E agora, quem poderá me defender?

Mais cuel  que não ter alternativas nessa vida para seguir em frente é ter várias e não se saber o que fazer. Acho que todo mundo aqui já ficou nessa situação.
Escolher a profissão por exemplo é uma das escolhas mais difícies que o ser humano pode tomar.   Os caminhos da vida são feitos de decisões e escolhas. Assim, o que cada um de nós é hoje, seja no trabalho, seja na vida pessoal, é conseqüência destas escolhas e das ações adotadas para efetivá-las. Algumas são essenciais e importam para a vida inteira! Decisões sobre nossa religião ou nosso papel social. Outras são  mais simples, mas não deixam de nos pegar na curva da vida: Com que roupa vou ao cinema hoje? O que vou comer no almoço amanhã?
Eu particularmente to quase enlouquecendo pois a cada dia tenho um projeto de vida. são tantos bagunçados aqui no meu quarto...  Até que meus planos não fogem muito da normalidade. Queria ser  professora e fui. De vez enquando ainda sou. Queria ser jornalista também, já sou repórter. Confesso que perdi um  pouco  do tesão nessa profissão  já que percebi que tem que gastar muita sola de sapato, ter um editor chato no pé e nem sempre ganhar bem. Mas não quero falar disso. A escolha do ano pra minha vida é que agora eu quero ser cineasta. E você que acha que é só um devaneio tá por fora. Eu sou daquelas que quer e vai até a porta do cursinho pra vê no quê vai dar. Não sei nem se vou ter tempo pra isso, mas na boa, tô tentando. Tô empolgadona aqui organizando minhas inscrições pra Escola de Cinema Darcy Ribeiro, a melhor do RJ. Ainda não decidi se estudo roteiro ou direção. Essa escolha vai no u-ni-du-ni-tê! Haha
Há tempos que eu não escrevo um texto assim, meio sem sentido, sem direção. Daqueles que você escreve e vai colocar o título depois, sabe?! Minha literatra é assim mesmo. Nasce da bagunça. Quanto mais confusa mais escrevo.

Um comentário:

Tálison Vasques disse...

Adoro a simplicidade que essa garota tem de escrever.. Entretem, pena que acaba!